Sumário
    Add a header to begin generating the table of contents

    Introdução

    Neste artigo sobre como escrever artigos científicos de alto impacto, buscaremos solucionar algumas dúvidas iniciais muito frequentes: para que serve um artigo científico? Quando meu texto está pronto para ser publicado? Quanto tempo devo demorar para escrevê-lo?

    E, veremos outras várias dúvidas que fazem com que muitos estudantes não se sintam confiantes com estímulo de publicarem, pois não compreendem a importância de se escrever um artigo científico.

    Cenário Inicial

    Não faz muito tempo que começou a se exigir determinado número de pontos advindos de publicações de artigos científicos no Brasil em razão das exigências da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) (https://www.capes.gov.br/).

    Principalmente, na área do Direito, em que é comum se publicar livros, esta exigência passou a impactar no credenciamento de docentes em Programas de Pós-Graduação e na avaliação dos Programas de Pós-Graduação no Brasil.

    Questionamentos na área do Direito

    Na área jurídica, muitos ficaram surpresos, inclusive por não haver uma cultura de se ler revistas científicas. Desse modo, começou-se a indagar: escreverei artigos científicos para publicar em revistas que ninguém ler?

    Neste sentido, é verdade que este era o cenário, mas podemos notar que esta visão está mudando, pois, muitas revistas, estão começando a se destacar, por exemplo, a Revista da FGV em Direito Público, tornando-se rica fonte de pesquisa para trabalhos acadêmicos.

    Além disso, deve-se pensar que esta mudança, embora forçada, veio em um bom momento: o mercado editorial de livros de Direito passou a ficar cada vez mais restrito, a ponto de só conseguirmos publicar manuais para Graduação e Livros para Concursos Públicos.

    Assim, tornou-se bem conveniente podermos publicar em revistas científicas pesquisas sobre temas restritos com o objetivo de avançar as investigações na área do Direito.

    Ademais, as revistas científicas, em sua maior parte, são de acesso gratuito, auxiliando na disseminação do saber.

    Enfim, na nossa perspectiva, nós fomos surpreendidos por novas exigências e uma nova forma de publicarmos nossos trabalhos na área do Direito.

    Por outro lado, precisamos nos adaptar e verificar os aspectos positivos, inclusive para vermos como ajustar as exigências da CAPES às nossas necessidades no nosso campo específico do saber.

    Alteração para os Estudantes

    Em decorrência destas alterações, pode-se notar que os estudantes, alunos da graduação e da pós-graduação, também começaram a ser exigidos no que se refere à publicação de artigos científicos.

    Neste sentido, os alunos da graduação começaram a ser cobrados a publicar em revistas científicas para ingressarem em Programas de Pós-Graduação e os alunos da pós-graduação passaram a serem demandados a publicar artigos científicos com seus orientadores.

    Na área do Direito, ainda há um outro fator que faz com que muitos busquem publicações de artigos e livros: pontuação na prova de títulos em muitos concursos públicos, permitindo uma melhor classificação.

    Classificação de Revistas Científicas

    Diante deste cenário, passou-se a buscar revistas científicas A1, A2 e B1, pois fornecem uma maior pontuação.

    Em razão da disputa, a espera para possuir um artigo publicado nestas revistas passou a ser muito alto, por exemplo, 2 anos em Revistas A1. Por outro lado, ao se necessitar pontuações anuais, os docentes passaram a se preocupar com as publicações, analisando como conseguir publicar seus artigos de uma forma rápida em revistas de alto impacto.

    Ao longo de nossos posts, analisaremos cada uma das revistas científicas de alto impacto; porém, para podermos iniciar esta jornada, é essencial compreender o porquê de ser relevante publicar artigos científicos.

    Nossa visão em relação às publicações científicas

    Desse modo, gostaríamos de ressaltar que, embora haja alguns problemas em relação às exigências de pontuações em Revistas Científicas e mesmo no que tange ao sistema de pontuação de diversas Revistas Científicas, é de extrema importância fomentar a publicação científica no País e acreditamos que o fomento da atividade de produção científica viabilizará o avanço da ciência no Brasil.

    Qual é o papel do cientista?

    O que um cientista faz?

    Ao indagarmos o que o cientista faz, surge em nossa mente uma resposta um tanto quanto evidente: o cientista faz ciência.

    Por outro lado, é suficiente descrever desta forma a atividade de um cientista? Para nós, não, pois não nos permite compreender o conceito como um todo.

    Desse modo, precisamos compreender que o cientista faz com que haja avanços científicos, ou seja, analisa os limites atuais da ciência e busca transpassar essas barreiras.

    Para que serve o artigo científico?

    Assim, o artigo científico serve para que o cientista apresente a sua pesquisa com o intuito de avançar no debate, nas investigações, nas análises etc. para conseguir superar os obstáculos existentes no atual estado da arte de determinado tema.

    Diante do exposto, é fato que o cientista publica os resultados de suas investigações, que busca aplicar determinados métodos para a solução de problemas-chave etc.; porém, é preciso compreender qual é a essência de um artigo científico: transmitir uma ideia.

    Qual é a essência de um artigo científico?

    Dessa maneira, no artigo científico, transmite-se uma ideia decorrente do saber do pesquisador em razão de sua atividade intelectual.

    Lembre-se de que o saber é o resultado decorrente da análise de dados e informações que são conectados com o conhecimento prévio do pesquisador.

    Não existe saber sem se conhecer, previamente, o assunto, por isso é necessário passar pela curva de aprendizagem antes de iniciar um artigo científico.

    Quando devo publicar um artigo?

    Para podermos responder a esta pergunta, devemos lembrar de que todo artigo científico deve ser estruturado com base em uma questão-chave e em uma hipótese de pesquisa.

    Assim, devemos publicar o nosso artigo científico quando conseguimos responder à nossa questão-chave e conseguimos confirmar a nossa hipótese de trabalho por meio de testes realizados por meio do emprego dos métodos selecionados.

    Quanto tempo devo demorar para escrever um artigo científico?

    Em virtude do que fora acima dito, a pergunta subsequente é: quanto tempo devo demorar para publicar um artigo? Como sei que meu saber foi construído?

    Assim, primeiro, precisamos reforçar que esta resposta varia muito conforme a área em que se está desenvolvendo a pesquisa científica.

    O processo de análise, investigação, teste etc é diverso conforme o campo do saber. Além disso, mesmo em área iguais, de acordo com as subáreas, também há mudanças.

    Dessa maneira, não poderemos dar uma resposta exata: 15 dias, 1 mês, 6 meses etc.

    Por outro lado, devemos destacar que, após a leitura dos textos necessários, após a investigação realizada, após o teste de sua hipótese de pesquisa, o processo de escrita deve ser rápido, logo, não costuma demorar mais de 7 dias se você se dedicar 2 horas por dia no processo de redação.

    Assim, lembre-se de que estamos falando da escrita científica, após levantar os dados, as informações necessárias, após a realização da leitura e da pesquisa bibliográfica etc.

    Há algum parâmetro para saber se estou demorando muito para publicar um artigo?

    No que se refere a esta pergunta, sim, é possível possuir parâmetros para saber se você está demorando muito para publicar ou se está publicando pesquisas ainda imaturas.

    Para estabelecer estes parâmetros, você deve verificar quanto tempo os outros pesquisadores e/ou equipe de pesquisadores demoram para publicarem os seus artigos científicos na mesma área de saber que o seu.

    Principalmente, se você é estudante e não possui um contato próximo com outros pesquisadores para saber quanto tempo em média demoram para publicar artigos científicos no mesmo campo de saber, vamos lhe passar uma dica:

    Busque pesquisadores, no mesmo patamar que o seu (alunos da graduação, do mestrado, do doutorado, da especialização etc) e na mesma área, no Lattes (http://lattes.cnpq.br/).

    No campo direito da Plataforma Lattes, há um ícone de uma lupa e está escrito buscar currículo. Clique neste campo e faça as buscas utilizando os filtros existentes.

    Veja a imagem abaixo:

    Ao se encontrar, por volta de 7 currículos de pesquisadores que possuem o mesmo grau de titulação que o seu e que, preferencialmente, estão na mesma Instituição de Ensino Superior que a sua (pois, os equipamentos à disposição, o acervo da biblioteca etc. influenciam no tempo de pesquisa), você poderá observar quantos artigos científicos por ano estes pesquisadores publicam.

    Assim, você poderá alcançar o seu parâmetro de tempo de publicação para que você não corra o risco de considerar que nunca seu artigo está pronto (v.g., você está há mais de um ano sem finalizar o seu artigo) ou de achar que sua pesquisa já está concluída pelo fato de ter obtido um resultado satisfatório; porém, na realidade, o artigo ainda não está pronto, pois necessita de mais investigação.

    Desse modo, salientamos que este parâmetro é relevante para que você não seja um pessimista que nunca consegue publicar ou um otimista que envia artigos inacabados e nunca são publicados por não estarem ainda prontos.

    Processo para a publicação de um artigo científico

    Dessa forma, para publicar um artigo científico, deve seguir o seguinte passo-a-passo:

    • 1) Deve estabelecer parâmetros quanto ao tempo que demorará para produzir o seu artigo e enviá-lo para publicação;
    • 2) Deve selecionar em qual revista científica de alto impacto será publicado o seu artigo (Em outro post, explicaremos o porquê de ser importante selecionar a revista científica antes de começar a escrever);
    • 3) Deve possuir uma ideia, estabelecendo uma hipótese de pesquisa;
    • 4) Você deve iniciar a fase de realização de sua pesquisa;
    • 5) Você deverá alcançar determinados resultados;
    • 6) Ao chegar a certos resultados, você observará se eles comprovam a sua hipótese de pesquisa ou não;
    • 7) Você elaborará o texto escrito de sua pesquisa em formato de artigo científico como se mostrará nos próximos posts.

    Veja este quadro para melhor compreender o processo:

    Qual é o requisito fundamental para um artigo científico ser publicado?

    Para discutirmos acerca do requisito fundamental para um artigo científico ser publicado, primeiramente, precisamos pontuar o objetivo deste post: é verificar as atuais exigências dos artigos científicos e auxiliá-lo na escrita acadêmica para que estes sejam publicados.

    Dessa forma, o nosso principal enfoque não é discutir se está correto ou não. Ao menos nestes primeiros posts, pois, tendo em vista o cenário atual, precisamos verificar como podemos nos adequar às exigências acadêmicas.

    Apenas para não ficar sem uma prévia resposta, destacamos que não estamos em concordância com vários aspectos das exigências relativas às publicações científicas e o nosso objetivo é edificar um Fórum de Debate para podermos desenvolver novas propostas e fornecer novas soluções para que a pesquisa científica sempre se desenvolva.

    Voltando à pergunta realizada, cumpre-se destacar que o requisito fundamental exigido nas revistas científicas nacionais e internacionais é a novidade.

    Hoje, para se conseguir publicar, é essencial apresentar algo novo.

    O que seria esta novidade?

    Você deve estar se perguntando: devo resolver um problema-chave que nunca alguém solucionou para conseguir publicar um artigo? Dessa forma, demorarei muito para publicar! Como farei isso?

    Calma, se você está fazendo estas perguntas, não entre em pânico. Nós vamos lhe explicar melhor o que é essa novidade, mas já saiba que você não precisa fazer uma nova descoberta para conseguir a sua publicação do artigo científico.

    A novidade pode se manifestar de várias formas, nós forneceremos alguns exemplos; contudo, ressaltamos que eles não se esgotam:

    • 1) Você pode fazer uma questão-chave que ninguém até hoje fez, ou seja, o seu artigo científico será construído para demonstrar como essa pergunta poderá auxiliar para a obtenção de novas soluções a determinado problema-chave;
    • 2) Você pode conectar dois autores para enfrentar determinada questão-chave que nunca antes foram estudados em conjunto;
    • 3) Você pode apresentar uma nova metodologia para enfrentar determinado problema-chave. Exemplo: Nós fomos em um Congresso em Genebra em que se discutia a necessidade do desenvolvimento de uma nova metodologia para se analisar a emissão de gases poluentes na atmosfera, pois os dados eram gerados em razão do cálculo feito por meio da emissão de poluentes, não pelo que era produzido em razão do consumo;
    • 4) Abordar determinado tema de forma diversa do que se costuma fazer;
    • 5) Estudar um caso que até o presente momento nunca foi estudado.

    Em suma, esses são alguns exemplos de novidades. Desse modo, não se preocupe, você não precisa, efetivamente, resolver um problema, você deve auxiliar para que haja um avanço na pesquisa e, hoje em dia, isto é visto por meio da novidade.

    Conclusões

    Neste post, buscou-se apresentar as principais características de um artigo científico, qual é o principal objetivo de se escrever um artigo, qual é o requisito fundamental para a elaboração de um artigo científico, qual é o processo para a publicação de um artigo e quanto tempo se deve empregar para a publicação de um artigo científico.

    Caso você tenha gostado, por favor, deixe um comentário. Além disso, se possuir sugestão de pauta para os próximos artigos, escreva abaixo deste post.

    Agradecemos a preferência e esperamos que acompanhem as nossas próximas publicações.

    1 comentário em “Como escrever Artigos Científicos de Alto Impacto”

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Rolar para cima